Rating de crédito: hoje foi a vez do Japão - Contabilidade & Métodos Quantitativos

Contabilidade & Métodos Quantitativos

Contabilidade & Métodos Quantitativos

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Rating de crédito: hoje foi a vez do Japão

 Hoje tivemos a notícia de a Moody's rebaixou o rating do Japão, o que já impactou a abertura das Bolsas locais. Resta-nos esperar a abertura da nossa para medir o impacto.

O pior disso é que ontem já houve uma boa recuperação, com um bom volume de negociações. A agência justificou o Aa3 porque "muitos fatos tornam difícil para o Japão desacelerar o crescimento da relação dívida/PIB" (Fonte aqui).

Abaixo segue um texto falando sobre as duas principais agências de rating, retirado do blog Avaliação de Empresas:

O texto já é antigo, mas vale a pena a reflexão:

Existe uma boa razão por que a S&P, e não a Moody´s, rebaixaram os Estados Unidos. As duas empresas não medem a mesma coisa com seu rating de crédito.


O rating da S&P procura mensurar somente a probabilidade de default. Nada mais que isto; não o tempo que o emissor provavelmente permanecerá em default, não o meio esperado como o default será resolvido. Mais importante, a S&P simplesmente não cuida do montante de dinheiro que os investidores ficarão depois que o emissor ficar em default.


Moody´s, pelo contrário, está interessada não na probabilidade de default per se, mas nas perdas esperadas. A probabilidade de default é parte do total de perdas esperadas – mas então você tem que levar em conta a probabilidade de quando irá ocorrer.


A diferença, como aplicada ao rating de crédito externo dos Estados Unidos, é enorme. Não existem dúvidas que os Estados Unidos possuem condições de pagar suas dívidas e que o default será somente temporário. (The difference between S&P and Moody’s)


Neste mesmo texto o autor destaca dois outros fatos interessantes:

a) A nota da SP é política, não econômica. Por este motivo, um país como o Equador, que possui bons fundamentos econômicos, possui uma nota tão reduzida

b) Cair de nota é pior que aumentar. Assim, o efeito de uma redução de AAA para AA é maior que o aumento de A para AA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate