Dicas de sobrevivência para pós-graduandos (e futuros pós-graduandos também) - Contabilidade & Métodos Quantitativos

Contabilidade & Métodos Quantitativos

Contabilidade & Métodos Quantitativos

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Dicas de sobrevivência para pós-graduandos (e futuros pós-graduandos também)

Semana passada eu compartilhei no Facebook a minha opinião sobre a questão de saúde mental dos pós-graduandos e nos comentários um dos meus amigos me pediu três dicas para mestrandos (bem específico).

Após o post em que compartilhei a minha opinião, compartilharei algumas coisas que podem ajudar vocês na jornada da pós-graduação.






O mestrado foi a fase mais difícil da minha vida, sem sombra de dúvidas. O mestrado foi tão difícil para mim que fez o doutorado parecer fácil!

Vejam só a foto abaixo. Nem para cortar o cabelo eu saía de casa, olhos roxos e só o couro e osso kkk


Nós com o Professor Jorge





Como Jefferson Santos me pediu três dicas, começarei com elas e depois apresento alguns textos daqui do blog que poderão te ajudar:

  1. Humildade: seja humilde! Com raras exceções, os alunos que entram no mestrado foram os melhores alunos das suas turmas na graduação. Quando você chega no mestrado isso não vale de muita coisa. Você levará muita porrada e é preciso ter humildade para absorver isso como sendo uma coisa boa. Além disso, a humildade é importante para saber que é impossível você ser perfeito em todas as disciplinas. É preciso saber balancear as coisas e ser o melhor que você puder no tempo que você tem.
  2. Foco: dispensa comentários adicionais né?
  3. Cuide da saúde: às vezes ficamos tão focados nas coisas que acabamos deixando a saúde de lado. No meu mestrado eu ficava o dia todo trancado no meu quarto estudando e, quando saía, basicamente era para comer. Nem beber água eu bebia direito. O resultado é que eu vivia doente e tive uma crise pesada de cálculo renal. Após isso, um belo dia, meu orientador (Professor Edilson Paulo) me chamou para conversar e disse uma das frases (foi uma pergunta retórica, na verdade) que mais mudaram a minha vida: Felipe, se tu morrer quem é que vai defender a tua dissertação?
Para complementar essas três dicas, compartilho aqui com vocês alguns textos que eu publiquei aqui no blog e que poderão ajudá-los (cliquem nos títulos para ter acesso):



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate