[REVIEW] Fome de Poder - filme sobre o Mc Donalds - Contabilidade & Métodos Quantitativos

Contabilidade & Métodos Quantitativos

Contabilidade & Métodos Quantitativos

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

[REVIEW] Fome de Poder - filme sobre o Mc Donalds

Já faz algum tempo, talvez mais de 2 meses, que eu assisti ao filme "Fome de Poder" (ou "The Founder") e fiz minhas anotações, porém não tive a oportunidade de escrever essa review. Agora vai.

O filme conta um pouco da história do Mc Donalds como conhecemos hoje e, apesar de não ser um grande fan da comida (mas que a como de vez em quando), temos que reconhecer que o modelo de negócios deles foi revolucionário.

É possível que o post contenha alguns pequenos spoilers, então tenham cuidado ao ler - apesar de que eu também tive cuidado ao escrever.


QUEM SÃO OS AUTORES

John Lee Hancock: foi o diretor do filme. Maiores informações sobre ele poderão ser obtidas aqui.

Robert Siegel: foi quem escreveu o filme. Maiores informações aqui.


UMA VISÃO GERAL

PERSISTÊNCIA.

Essa é a mensagem (boa) principal do filme!

Tecnicamente falando, Fome de Poder é um filme para pessoas que gostam de empreendedorismo, pois traz diversos conceitos relacionados ao tema - lembrou-me muito quando cursei Teoria Geral da Administração (TGA) no primeiro semestre da faculdade.

Porém, o filme também trata de inovação e o poder que fazer coisas diferentes tem. Sair do status quo é uma das principais chaves para você se destacar em algo. O filme destaca isso muito bem.

Todavia, cuidado com a mensagem ruim que o filme traz. Uma pessoa de mente mais fraca pode ser atraída para o lado negro da força.

Ah, já ia esquecendo: nunca tente fazer nada sozinho. Sempre tenha uma boa equipe junto com você.


TRECHOS DE DESTAQUE

1) Quando Ray Kroc conhece a cozinha do Mc Donalds, ele diz que "parece algo que saiu da cabeça de Henry Ford". Realmente a forma como eles modelaram aquela cozinha é impressionante!

2) Os estudantes de contabilidade, administração e economia devem ter ficado satisfeitos no trecho em que Kroc fala que não está nem chegando ao ponto de equilíbrio. Agora eles sabem que isso não é só uma coisa para fazer prova de contabilidade gerencial e de custos!

3) "Boas coisas vêm aos que esperam"! Essa é a principal lição que todo investidor fundamentalista deve aprender. Não que Ray Kroc seja um investidor fundamentalista, mas o filme nos traz várias lições sobre isso. Essa é uma que vocês devem guardar, no lugar da parte ruim da história (mesmo a parte ruim nos traz a lição sobre confiar ou não nas pessoas).

4) A virada no jogo para o Mc Donalds como conhecemos hoje se deu a partir da ideia de Harry Sonneborn, sugerindo que o negócio da empresa, de fato, não era alimentos, mas sim compra e venda dos locais onde as franquias seriam instaladas.

Warren Buffett (cujo filme já foi objeto de review aqui no blog) sempre fala que só devemos investir no que conhecemos.

Sonneborn parecia conhecer bem mais o negócio do que o próprio Kroc e isso mudou tudo!

5) Cuidado com os advogados!

6) Muitos podem pensar, assim como eu pensei: se o cara foi tão sem "escrúpulos", porque ele simplesmente não roubou a ideia da cozinha e o modelo de negócio?

O filme explica essa questão, enfatizando o poder da marca.

Imaginem um restaurante chamado "Kroc's". Isso não me cheiraria bem (piada estilo Zorra Total - quem não entendeu clique aqui).

7) O filme inicia com um discurso sobre persistência e finaliza com a retomada deste discurso.

Confesso que é um discurso bem motivador, que destaca a importância da persistência, inclusive, em relação ao talento.

A persistência sempre ganha. Quem imaginaria que Michael Bisping um dia seria campeão do UFC?!

8) June Martino foi contadora do Mc Donalds e quando houve o IPO, ela foi a primeira mulher a participar de um jantar com os diretores da NYSE, desde a rainha Elizabeth.



NÍVEL DE PROFUNDIDADE/ACESSIBILIDADE

O filme, apesar de tocar em questões técnicas, como ponto de equilíbrio, contratos, disputas societárias, conhecimento do negócio, valuation etc., não aborda isso com muita profundidade, de modo que as pessoas com menos conhecimentos técnicos possam assistir e entender a ideia do filme sem maiores problemas.


VALE À PENA?

Em minha opinião, vale muito à pena.

A história é muito boa, traz várias ideias sobre como agir e não agir nos negócios, além de ter sido (na opinião de uma pessoa que não é especialista em cinema) muito bem produzido.

Assista ao trailer abaixo:


Um comentário:

  1. Bom filme! The Founder superou as minhas expectativas, o ritmo da historia nos captura a todo o momento! Uma historia cheia de incríveis personagens e cenas excelentes.Acho que é um dos melhores Michael Keaton filmes. Fez uma grande química com todo o elenco, vai além dos seus limites e se entrego ao personagem. Sempre demonstrou por que é considerado um grande ator. Já estou esperando o seu próximo projeto, seguro será um sucesso.

    ResponderExcluir

Translate