Expert XP: vale à pena ir? - Blog ContabilidadeMQ

Blog ContabilidadeMQ

Blog ContabilidadeMQ

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Expert XP: vale à pena ir?

A Expert XP é um dos maiores eventos sobre investimentos do mundo - segundo informado pela organização, é o maior. Em 2019 foi a segunda vez que eu participei da feira e resolvi agora apresentar uma overview para aqueles que não foram e para aqueles que pensam em ir nos próximos anos.

O evento é bem diferente daqueles que eu costumo frequentar (congressos científicos) e o clima é bem amigável. As discussões nos congressos científicos são muito mais "acaloradas". Na verdade, na Expert não há muito espaço para interação com os palestrantes. É mais para você sentar e ouvir.

Por outro lado, fora das palestras há muito espaço para networking e troca de ideias com colegas que você conhece pelo Twitter, analistas, gestores e demais pessoas que trabalham nos fundos de investimento em que você pretende investir.



Abaixo eu apresentarei algumas passagens que me chamaram a atenção e alguns pontos que podem ser melhorados nos próximos eventos, de modo a ajudar o leitor a decidir se vale à pena ou não ir ao evento.

Eu acredito que vale à pena ir, mas apresentarei algumas evidências para que você possa tomar a sua decisão de ir ou não ir.

Dividi o texto da seguinte forma:
  1. O EVENTO;
  2. PREÇO (OU VALOR?) DO INGRESSO;
  3. O QUE PODE SER MELHORADO NAS PRÓXIMAS EDIÇÕES; e
  4. LINKS PARA ALGUNS VÍDEOS.

Boa leitura!


O EVENTO

O primeiro dia do evento é fechado para agentes autônomos de investimentos ligados à XP Investimentos. Pelo que andei conversando com alguns deles, não teve nada de mais... exceto pelo fato de que o Ministro da Economia Paulo Guedes fez a sua apresentação neste dia.

Eu criei muita expectativa para ver Paulo Guedes na Expert de 2018, mas, pela estratégia da campanha de Jair Bolsonaro, ele não compareceu ao debate dos economistas das campanhas. O debate, mesmo assim, foi muito bom e os economistas do PSDB e MDB deram show. Se Guedes estivesse lá, talvez o evento pudesse ter sido melhor.

Dito isto, criei uma expectativa muito grande para ver uma apresentação dele ao vivo em 2019, mas fui frustrado. 

De qualquer forma, a apresentação está no Youtube (links abaixo).

No segundo dia, sexta-feira, o evento é aberto para todos os inscritos e com uma abertura bem empolgante do evento. A primeira palestra grande foi do Ministro Sérgio Moro

Mais uma vez, muita expectativa, porém também saí um pouco frustrado. Não teve muita novidade, apesar de a apresentação ter sido muito boa. Ele fala muito bem e condução das perguntas também foi legal. Mas eu esperava mais: esse é o problema de criar expectativas. 

O ponto mais alto da apresentação de Moro, talvez, foi ele ter deixado no ar que tem interesse de sair candidato a presidente do Brasil. Veremos nos próximos episódios (em alguns anos, talvez).

Após a palestra de Moro, começaram as palestras menores (pop-ups e learning-sessions). As pop-ups são sessões bem pequenas e curtas (duração de 30 minutos), enquanto que as learning sessions ocorrem no auditório da plenária (com duração de 1 hora), todavia com 4 palestras simultâneas (você escuta pelo fone de ouvido).

Em geral, as pop-ups não foram legais. No ano passado eu saí com a mesma impressão, porém esse ano foi melhor do que no ano passado. Acho que as pop-ups são liberadas para os fundos, gestoras e patrocinadores do evento fazerem propagandas dos seus produtos. Não sei se é isso de fato, mas essa é a impressão que eu fiquei. Metade das que eu assisti eu saí com essa impressão.

A pop-up que eu mais gostei foi sobre a "Revolução Energética no Brasil". Eu tinha uma expectativa muito grande com relação a outras duas pop-ups (quants e discussão de investimentos em ações), mas fiquei meio frustrado também. A frustração não foi pela falta de qualidade ou por propaganda, nesses casos, mas porque eu já acompanho esse assunto mais de perto, então não teve muita coisa nova. Mas acredito que tenha sido útil para muita gente.

Este ano teve uma novidade, pelo menos para mim. Eu resolvi explorar melhor a feira em si e não apenas as palestras (cabeça de acadêmico é assim, mas estou mudando um pouco kkk), então pude conversar com um monte de gente e ver mini eventos paralelos, como o que foi organizado por James da NCH Capital: mesa redonda com Bredda e Luiz Alves (Alaska), João (XP), Rogério (SPX) e Dato (Eleven). Muito legal e espero ver mais disso e com nomes menos badalados da indústria de fundos (como César Paiva do Real Investor, que estava lá no evento).

Sobre as learning sessions, em geral foram legais, porém a que mais gostei, de longe, foi a que teve a participação de João Braga (XP). Essa foi a que eu fiz mais anotações.

Vou destacar alguns pontos interessantes que eu anotei:
  • Não é novidade, mas ele destacou, mais uma vez, a ideia de que o Brasil é um avião vazio e com uma leve recuperação da economia podemos ter impactos mais fortes nos lucros das empresas (alavancagem operacional);
  • João acredita que muitos fundos de pensão aumentarão a exposição em bolsa, para atingir as metas. Acabou a moleza de 1% ao mês com renda fixa, tranquilamente. O investidor e o gestor terá que tomar mais risco para tentar obter melhores retornos. Eu penso da mesma forma que ele, só não tenho muita convicção de que a nossa bolsa tem capacidade de receber assim, do jeito que estamos, US$ 2 bi só de fundos de pensão, sem contar com a possibilidade da entrada de investidores estrangeiros, caso passemos confiança, e ainda outros locais saindo da poupança e da renda fixa. Espero que tenhamos bons IPOs, de modo que esse dinheiro entre e fique!
  • Mas minha grande surpresa foi que ele informou que Via Varejo (VVAR3) é a maior posição nos fundos da XP. Se não me engano falou em 10% do fundo.

No último dia do evento, sábado, tivemos um painel interessante com Jakurski (JGP), Rogério Xavier (SPX) e Marcio Appel (Adam). Os dois primeiros parecem estar muito otimistas com bolsa, enquanto que o terceiro está mais cauteloso. Porém eu gostaria de destacar uma questão relacionada à relação entre preço e valor.

Jakurski:
No mercado, o valor se dá analisando o retorno sobre o capital, custo do dinheiro e crescimento.

Appel:
Achamos que a bolsa vai subir, mas a questão é se você vai querer comprar um ativo por 105 mil pontos, com potencial de ir a 115 mil pontos, mas com todo o risco embutido.

Destaco isso porque existe um grupo de pessoas que, por motivos diversos, disseminam a ideia de que é uma boa ideia comprar ações a qualquer preço. E isso é muito perigoso, principalmente para os mais iniciantes que só viveram esse período de subida da bolsa.

Eu falo mais sobre isso no meu Twitter e Instagram:




Por fim, gostaria de comentar também sobre a sessão entre Jorge Paulo Lehman e Guilherme Benchimol. Inicialmente eu pensei em não ir. Achei que seria algo mais motivacional e eu não sou muito fan dessas coisas, mas resolvi assistir. Não me arrependi!

Eu particularmente não conhecia a história de Benchimol e achei muito legal não só a história, mas a humildade dele. O cara aparentemente começou o negócio da XP do zero e basicamente captando recursos dando aula sobre como investir na bolsa de valores.

O evento teve muito mais coisas que vocês podem ver nos links que coloquei no final desse texto.


O PREÇO (OU VALOR?!) DO INGRESSO

O evento é relativamente caro. Na versão de 2019 os ingressos variavam de R$ 1.000,00 a R$ 3.400,00 - clientes XP têm 50% de desconto.

O ingresso de R$ 2.100,00 dá acesso a tudo na feira, inclusive o auditório principal, comidas e bebidas, enquanto que o ingresso de R$ 1.000,00 dá direito a tudo o que de R$ 2.100,00 dá direito, porém você não pode entrar no auditório principal (mas dá para assistir à transmissão pela feira).

O ingresso mais caro, de R$ 3.400,00 (VIP), dá direito a tudo que os anteriores dão, adicionando ainda: a) VIP lounge na feira, b) Welcome Box Exclusivo, c) Fast Check-in e d) área reservada na frente do auditório principal.

Das regalias VIP, eu realmente dou valor ao fast check-in. Nos dois anos que eu fui, eu peguei o ingresso VIP. Em 2018 a fila era gigante para entrar, então isso me fez comprar o VIP de novo em 2019.

Se você quer aproveitar as demais regalias do VIP, só vale à pena se você estiver sozinho, ou se seu grupo todo estiver de VIP.

Em 2018 estávamos em 3 pessoas e uma delas não estava de VIP, então não usamos nada - exceto algumas cervejas artesanais da área VIP. Em 2019 estávamos em 3 pessoas de novo, porém só eu de VIP e eu nem sequer vi onde era a área do lounge VIP (comento sobre isso na próxima seção).



O QUE PODE SER MELHORADO PARA AS PRÓXIMAS EDIÇÕES


Tem muita coisa boa no evento, mas, como tudo na vida, não dá para agradar a todos e eu tenho algumas sugestões de coisas que podem ser melhoradas.


  1. O ingresso VIP poderia dar direito a pegar e entregar os fones mais rapidamente. A fila dos fones é bem grande e na hora de ir embora já estamos cansados e ainda temos que enfrentar aquela fila gigante não é nada legal;
  2. O kit VIP exclusivo não tem nada de muito exclusivo. Ano passado pelo menos ganhamos um carregador (muito útil até) que carrega uma bateria quase inteira do meu celular. Em 2019 nem o carregador ganhamos;
  3. Muita fila para tudo e como o evento cresceu muito, as filas estavam muito, muito grandes. Eu nem arrisquei participar de nenhum sorteio ou jogo, porque tinha muita fila e eu perderia as palestras - no último dia eu cheguei bem cedo para ver se conseguiria, mas estava quase tudo fechado logo cedo;
  4. No último dia também teve um jantar e festa, mas só para os assessores, até onde eu pude saber. A empresa depende dos clientes também... achei que isso pegou mal, principalmente para quem pagou caro por um ingresso VIP; 
  5. A sinalização do evento não é das melhores. Seria legal que tivéssemos placas "flutuantes" para tentar encontrar mais facilmente os locais. Isso foi uma coisa que eu senti falta no evento do ano passado e achei que fossem melhor para esse ano. Por exemplo, eu não encontrei o lounge VIP - também não fiquei procurando muito, mas deveria estar bem sinalizado;
  6. Seria legal que tivéssemos discussões técnicas e aprofundadas (talvez no espaço das pop-ups que foram bem usados para "propaganda"). Algumas pop-ups eram bem legais, mas não havia tempo suficiente para aprofundar;
  7. Mais discussões antagônicas, ao estilo Betting on Zero;
  8. Apresentações de casos de investimento, com alguém para destruir a tese de investimento e gerar um debate mais interessante. Isso é algo que sou acostumado a ver em discussões de congressos científicos (o pau come, como dizemos aqui no Nordeste);
  9. Gostaria de ver gestores mais novos e menores em alguma sessões também. O evento fica muito concentrado nos grandes (e mesmos) nomes;
  10. Uma área ou sessão para novos gestores de clubes de investimento que têm interesse de um dia transformar em fundos (seria a iniciação científica dos congressos acadêmicos); e
  11. O evento cresceu muito em número de pessoas (de 20 para 30 mil, se não me engano), mas não percebi aumento proporcional no espaço físico. A feira estava bem apertada.



LINKS DAS PALESTRAS NO YOUTUBE

Conversa com gestores no stand da NCH Capital:



Palestra de Paulo Guedes:



Clicando aqui você acessa playlist da Expert 2019 no canal da XP.

Clicando aqui você encontra alguns vídeos no canal da B3.

Um comentário:

  1. Conhece o instagram @monkeystocks? O q tem a dizer sobre o metodo dele em relação ao comportamento do mercado?

    ResponderExcluir

Translate