Equity Valuation e Desempenho dos Analistas - Contabilidade & Métodos Quantitativos

Contabilidade & Métodos Quantitativos

Contabilidade & Métodos Quantitativos

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Equity Valuation e Desempenho dos Analistas

Essa semana a Thomson Reuters divulgou em seu canal do Youtube (vídeo no final do post) vários vídeos da APAC BUY-SIDE SUMMIT 2018. Basicamente me interessei mais por dois deles e faço o comentário abaixo sobre a palestra "Improving Equity Valuation and Analyst Performance".


Abaixo eu comentarei sobre as estrelinhas dos analistas que divulgam suas recomendações e projeções no Eikon, a metodologia de projeções das Starmine e a Sabedoria das Multidões, e finalizo com outros tópicos, em especial sobre um jantar com o CFO da Microsoft.

Vamos aos comentários específicos!



AS ESTRELINHAS DA THOMSON REUTERS EIKON (DESEMPENHO DOS ANALISTAS)

Quem usa a Thomson Reuters Eikon para ver o que os sell-side têm a dizer sobre determinada empresa deve ficar ligado às estrelinhas de cada analista.

Se você não conhece a metodologia das estrelinhas, aqui vai:

  1. O analista precisa se diferenciar do consenso, então os seguidores da manada nunca conseguirão muitas estrelas;
  2. É preciso se diferenciar do consenso antes da maioria, para poder ganhar mais estrelas; e
  3. (como não poderia ser diferente) É preciso acertar nas projeções! Quanto mais acurácia o analista tiver, mais estrelas ele terá.
Considerando esses 3 pontos em conjunto, apenas 10% dos analistas conseguem 5 estrelas.


METODOLOGIA DE PROJEÇÃO DA STARMINE E A SABEDORIA DAS MULTIDÕES


Quando dou aula de valuation, eu falo sobre a importância de se fazer as suas próprias projeções/estimativas, mas também falo que é importante conversar e ver o que outras pessoas estão fazendo. Philip Fisher adorava esse tipo de networking. 

Essa ideia está ligada ao conceito de "Sabedoria das Multidões" (Wisdom of Crowds). Se quiser saber um pouquinho mais sobre a importância disso para fazer projeções, recomendo que leia a minha review sobre o livro "Superprevisores: a arte e a ciência de antecipar o futuro" (clique aqui).

O modelo Starmine (da Reuters) faz mais ou menos o que eu faço, quando considero a opinião dos analistas que estão lá no Eikon. Eles colocam mais peso nos analistas mais acurados e nas projeções mais recentes.


OUTROS PONTOS DA CONVERSA


O palestrante falou muito sobre pesquisa na área de previsão de analistas. Achei isso muito legal. Citou vários artigos que eu já tinha lido. Isso é importante porque eles consideram a pesquisa científica. 

Eles têm diversos white papers sobre modelos quantitativos que são usados.

E, por fim, alguém perguntou ao palestrante sobre o que faz os melhores analistas serem os melhores. Não lembro exatamente a resposta (assistam ao vídeo), mas anotei o exemplo que ele deu:

Um analista disse que levava o CFO da Microsfot para jantar a cada trimestre. Talvez essa seja a sua habilidade: leitura corporal.



Acho que ele tentou fazer uma piada de duplo sentido, quando falou de leitura corporal. Eu achei engraçado.

Todavia, essa é uma coisa muito importante. Eu quase nunca tenho oportunidade de assistir apresentações das empresas nas quais eu invisto pessoalmente. Geralmente troco emails com o RI, ou escuto conference calls e coisas do tipo. 

Ano passado eu pude participar presencialmente do Magazine Luiza Day (vejam clicando aqui) e eu fiquei muito focado na movimentação corporal, quando os diretores estavam respondendo às perguntas. Essa é uma coisa que não conseguimos captar por email. Realmente, para esse caso da Microsfot, isso pode ter feito alguma diferença.

Aqui está a palestra completa:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate