Índice de Sortino em Billions: volatilidade é ruim? - Contabilidade & Métodos Quantitativos

Contabilidade & Métodos Quantitativos

Contabilidade & Métodos Quantitativos

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Índice de Sortino em Billions: volatilidade é ruim?

Se você ainda não assiste a série de TV Billions, recomendo que leia a minha review clicando aqui.

A terceira temporada foi demais e a quarta promete muito. Eu estava preocupado com a continuidade da série, mas agora estou mais tranquilo.

Mas vamos ao que interessa...

No último episódio da terceira temporada, por volta dos 13 minutos, Axe fala sobre um indicador pouco difundido por aqui para avaliação de desempenho de carteiras: Sortino Ratio ou Índice de Sortino.





Vocês já conhecem o Índice de Sharpe. Já comentamos sobre ele aqui no blog e no canal do Youtube. Se ainda não conhece, recomendo que assista ao vídeo que coloquei no final deste post (e aproveite para se inscrever no canal).

O Índice de Sharpe capta a volatilidade geral, então, se você tem uma empresa muito volátil (como foi a Magalu em um passado recente) em sua carteira, mas que é volátil para cima, é possível que você seja "punido" pelo Índice de Sharpe.

O Índice de Sortino, por outro lado, capta apenas a volatilidade para baixo (donwside volatility). Você pode ajustar para esse "para baixo" de acordo com o benchmark, por exemplo. Assim, os fundos que são mais agressivos não são punidos por terem ações voláteis na carteira que subiram muito.

Mas, cuidado ao usá-lo. A volatilidade pode virar para o outro lado. É sempre bom avaliar questões qualitativas antes de investir e analisar também outros indicadores quantitativos que vocês podem encontrar na nossa playlist de Finanças 1 no canal do youtube.

Para mais informações sobre o Indice de Sortino, clique aqui.




Explicação do Índice de Sharpe




Aqui está uma aplicação no Excel:




5 comentários:

  1. Olá professor, sigo seu blog e recomendações já a um tempo(4 meses).Comecei a me interessar recentemente sobre investimentos(análise fundamentalista) desde que me formei em matemática no começo desse ano. Percebi, muito por sua causa, que contabilidade é muito importante no desenvolvimento de atribuir um valor a uma empresa. Já li análise didática das demonstrações contábeis a e avançada do eliseu martins depois comecei a me aventurar no investment valuation edição de 1995 do damodaran e agora estou terminando o investments do zvi bodie, entretanto, me parece que, no final do dia oque realmente importa, no dfc, são as premissas como: aumento da receita, continuação das margens e algum forte investimento em desembolso de capital e capital de giro... e claro a perpetuidade o mais importante... enfim as premissas que vc ja conhece. Por fim, parece-me que o valuation é refém de si próprio. gostaria de saber oque o senhor considera de importante na tentativa de previsões realistas. além de conhecer bem o negocio é preciso algum conhecimento economico? se sim, poderia me recomendar algum livro nessa area?

    ResponderExcluir
  2. opa sou eu novamente, o matemático anonimo do post de cima, Comentando ainda sobre as premissas, o damodaran no livro investment valuation de 1995 na pagina 341 mostra uma valuation sobre a IBM ao qual estava em dificuldades na época(1992) principalmente por um salto em suas margens de CMV para 88% da receita (algo provavelmente pontual o qual o damodaran supoe depois com ressalvas) pois até meados dos anos 80 essa margem se situava abaixo dos 80%. o damodaran manteve premissas conservadoras sobre crescimento de modo geral, auferindo apenas que as margem CVM iriam cair pra 85% na perpetuidade. no final ele chegou a um valor de 65,29 dolares por ação. as açoes naquela epoca segundo ele estavam sendo negociadas a 50,00. entretando ele mesmo alerta no final que se fosse feito o mesmo valuation mudando apenas a premissa da margem CVM que ele supos 85% para 88% (que a empresa apresentou no ano em questão) o valor da ação cairia para 26,98.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa. Ótimos comentários. Eu até estou pensando em te responder num post. GEralmente faço isso com comentários que podem ser úteis para diversas pessoas.

      Mas, para vc não esperar tanto, já que estou com uma grande lista de coisas a fazer, dá uma olhada nos slides da minha palestra sobre "Mitos, (nem tão) verdades (assim) e aplicações de valuation".

      No meu slide share, cujo link está na versão desktop do blog, eu disponibilizo lá todas as minhas apresentações.

      Excluir
    2. Achei muito interessantes os slides, me senti lendo uma vez mais o livro do damodaran. Aquela comparação entre as metodologias usadas para avaliar a Dell foi ON POINT haha, não da pra concluir que nenhuma é mal feita, longe disso. todas as variáveis carregam erros- metodológicos(supor o índice como sendo a carteira tendo todas as ações do mercado) e de previsão- varias definições para varias variáveis. Vi sua entrevista no conta+ e de fato, além das preocupações se o valuation foi bem feito ainda tem o viés do avaliador hahaha. Bom isso em nada tira o valor do valuation até porque ele nao se propõe a calcular um valor real(justo, intrinsico) da ação segundo, damodaran. ele simplesmente te da um valor que seria o valor justo supondo os fluxos que vc calculou com base em suposicoes sobre crecimento, taxa de desconto... que vc calculou supondo os dados do balanço que teoricamente se supoe retratam verdadeiramente em todos os detalhes a situação da empresa oque sabemos não é verdade apenas uma aproximação do que realmente é a situação da empresa. O damodaran quase começa o livro dele dizendo "A avaliação não é ciência que alguns de seus proponentes dizem ser, nem a busca objetiva por valor verdadeiro que os idealistas gostariam que se tornasse. Os modelos que usamos na avaliação podem ser quantitativos, mas os dados de entrada deixam margem suficiente para julgamentos subjetivos". Professor muito Obrigado por esse blog, sem ele provavelmente minha jornada de aprendizado seria/será infinitamente mais árdua.

      Excluir
    3. Exato. Eu sou muito Damodariano e a parte inicial da palestra é quase totalmente baseada num curso que fiz com ele aqui em SP há alguns anos.

      Obrigado também pela parte final do comentário. É sempre muito bom receber feedback. Diferente das aulas, eu não tenho como ver a reação das pessoas que leem o blog, então é difícil fazer algum valuation do conteúdo que posto kkkk

      Excluir

Translate